Como toda a gente, também nós, portadores de doenças metabólicas passamos por momentos menos positivos e por dificuldades e problemas que temos que gerir em conjunto com outras preocupações relativas à doença.

Ter fenilcetonúria e cumprir a dieta sempre foram coisas fáceis para mim, só que em certas alturas é mais complicado conseguir gerir o tempo, as atividades, o stress de forma a seguir a dieta e tomar as misturas de aminoácidos de forma certinha. Para mim o mais complicado é gerir a dieta em situações que estou sobre grande stress e pressão, agora com questões de trabalho, mas durante a faculdade e períodos escolares quando tinha muitos testes, exames e trabalhos para fazer/entregar. O que me acontece é “esquecer-me” de comer ou tomar a mistura de aminoácidos, e o que faço para que isto não me aconteça é colocar um despertador no telemóvel para me obrigar a comer/tomar os aminoácidos. Esta foi a estratégia que encontrei e que resulta melhor comigo, mas certamente que existem outras que poderão resultar melhor.

A chave está em encontrar o equilíbrio e arranjar estratégias para conseguir lidar melhor com as fases menos positivas e com as constantes adaptações que a dieta nos obriga a fazer, mas o mais importante é estar bem, sempre.

Ana Maria Silva, Fenilcetonúria