Por vezes o facto de fazermos uma dieta diferente ou até por termos de tomar medicação às refeições pode trazer-nos alguns constrangimentos quando estamos a jantar com amigos ou em festas. É normal!

Tenho 20 anos e estou na idade de sair à noite, fazer jantaradas de curso, ir para as discotecas e dançar até não poder mais e acredito que a doença é o menor dos meus impedimentos para me divertir com os meus amigos!

Das primeiras vezes que fui jantar fora com amigos ainda pensei em comer em casa para depois não haver grandes complicações… Mas eles logo me fizeram perceber que não havia problema nenhum em comer um prato diferente ao pé de si. E de facto, quanto mais naturalmente assumirmos esta situação, mais natural será a reação dos que estão sentados à mesa connosco!

Há uns dias tive um jantar com um grupo de pessoas que ainda não conhecia muito bem. À minha volta tinha três amigos mais próximos, que estão habituados a comer comigo, e duas raparigas que tinha conhecido no dia anterior.

Eu já tinha percebido que elas me queriam perguntar o porquê de eu estar a comer um prato diferente, só estavam à espera da oportunidade! E quando esta surgiu, uma delas fez a pergunta. Como estava a mastigar demorei um pouco a responder e quando dei por mim, os meus amigos já estavam a responder ao típico questionário: “Então o que é que comes?!”; “E como é que consegues viver sem comer proteínas?”; “E o que é que te acontece?”. Passados dois minutos de conversa sem eu conseguir intervir, consigo finalmente dizer às raparigas: “Estão a ver? Que bem ensinados que eles estão! Já não preciso de explicar mais nada!”.

Esta situação fez-me perceber que, felizmente, estou rodeada de pessoas que se preocupam comigo! E só lhes tenho a agradecer por me fazerem viver estas experiências da maneira mais natural e inesquecível possível!

Maria Cunha, OCT