Quem já foi lendo alguns dos meus testemunhos sabe que lido de uma maneira muito natural com a minha doença. É uma condição que me foi imposta, que traz consequências, mas que fui aprendendo a respeitar.

Entrei numa fase da minha vida de grandes descobertas, quando finalmente ganhei a liberdade, a responsabilidade e as condições para viajar e experimentar novas aventuras. E cada vez mais acredito que a doença não me traz qualquer impedimento.

Gostava de partilhar convosco a minha última viagem. Fui ao sul de Espanha percorrer os Caminitos del Rey, uma experiência marcante.

Estes são caminhos que antigamente eram usados como acessos entre os desfiladeiros de Chorro e Gaitaneijo para a construção de uma central hidroelétrica e que foram recuperados servindo atualmente como atração turística.

Grande parte do percurso decorre sobre uns passadiços no desfiladeiro, havendo também, a meio da caminhada uma zona de montanha.

Optei por fazer o caminho no turno que começava pelas 10h, o que me permitiu lanchar nos Caminitos, snacks que levei, mas já ter terminado pela hora do almoço. Em termos físicos, achei uma caminhada não muito extensa, mas que, para os menos experientes ou com alguma limitação, pode ser um pouco exigente.

Gostei muito da experiência porque nos permite um contacto próximo com a natureza, num local calmo e silencioso, mas sempre com momentos de muita adrenalina! Sem dúvida, uma aventura a não perder, especialmente para os mais apaixonados por estes programas de caminhada natural.

Se decidires fazer os Caminitos del Rey, aqui te deixo algumas dicas para que possas aproveitar ao máximo a experiência:

  • Compra os bilhetes com antecedência, porque estes podem esgotar facilmente;
  • Pondera ir na Primavera, para conseguires ter um dia mais ameno e sem grande probabilidade de mau tempo, visto que os caminhos fecham em situações de muito vento ou chuva;
  • Leva roupa e calçado confortáveis. Apesar de a distância não ultrapassar os 4 km, pode ser exigente em termos físicos;
  • Leva comida: snaks e fruta são as opções ideais. Não existem cafés ou restaurantes ao longo do caminho;
  • Não te esqueças da medicação, o percurso pode demorar algumas horas.

Acima de tudo não te esqueças de te divertir. A tua doença não te impede de seres feliz!

Maria Bravo da Silva Cunha